mirando mundo

o mundo… sob um certo olhar – e interação

Dieta Yogue

mil-coisas-abarrals-25.jpgmil-coisas-abarrals-25.jpgmil-coisas-abarrals-25.jpg

Nada beneficiará mais a saúde da humanidade e aumentará as chances de sobrevivência na TERRA quanto a dieta vegetariana.”

                                                 Albert Einstein –  Nobel 1921

Com estas palavras, o ilustre fisico e cientista abriu definitivamente o caminho para a popularização do vegetarianismo. Uma opção de vida há muito tempo cultuada na Índia, pelos mestres Yoguis.
 
Segue aqui uma introdução e resumo sobre a alimentação Yogue:


O corpo físico não é algo diferente e separado da mente. É a camada mais externa da mente, e é a base para a meditação. No Yoga, a primeira camada da mente chama-se Annamaya Kosa ou “camada do alimento”, porque recebe influência direta da comida que comemos. À medida que a mente se torna mais sutil através da meditação, o corpo deverá também tornar-se mais sutil, do contrário, o paralelismo entre as camadas física e psíquica de nossos seres se perderá e nosso progresso será retardado. Por isso, os Yogues têm enfatizado a importância de urna dieta vegetariana para se manter a pureza das células do corpo, da mesma forma que a prática da meditação purifica as camadas da mente.
Dentro das pesquisas recentes, um número cada vez maior de médicos e nutricionistas está chegando à conclusão de que, comparada com os legumes, a carne é uma fonte de proteína extremamente tóxica  (56% impura), de acordo com a Enciclopédia Britânica, e que pode em ultima análise causar muitas doenças, inclusive problemas gástricos e renais, pressão alta e até mesmo câncer. Sociedades que consomem basicamente uma dieta vegetariana, coma os ‘Hunzas’ do Paquistão, as tribos indígenas do Peru e os Adventistas do Sétimo Dia, têm a menor incidência de doenças e maior longevidade do que populações que comem carne. Está provado que as proteínas vegetais são tão nutritivas quanto as proteínas da carne, sem qualquer de seus efeitos maléficos sobre o corpo.
 

De acordo com os Yoguis, a carne exerce um efeito maléfico sobre a mente bem como sobre a personalidade, pois nossas mentes são agitadas de forma sutil pela ingestão de carne de animais. Como Albert Einstein (ele próprio um vegetariano) falou: “é meu ponto de vista que o modo de vida vegetariano, pelo seu efeito puramente físico sobre o temperamento humano, influenciaria beneficamente o destino da humanidade.”
 
 

AS TRÊS CATEGORIAS DA ENERGIA:

Milhares de anos atrás, os yogues constataram a forte influência da dieta em nosso corpo e nossa mente. Há muito tempo eles já sabiam o que a física só agora está descobrindo: que o universo pulsa vibrações, manifestadas em ondas de diversas freqüências, desde as extremamente densas até as mais sutis.

Desse modo, a energia divide-se em três tipos de fluxos: sutil, mutatória e estática. Quando uma dessas energias predomina num ser, ele passa a vibrar na mesma sintonia dessa energia.

Observação: O termo exato para designar esses três tipos de “energia” ou de “força” é gunas, em sânscrito. As gunas são os três princípios limitadores ou qualificadores que compõem um dos dois princípios fundamentais do universo, a saber , Prakrti, ou princípio operativo.

     FORÇA SUTIL

É a força da autoconsciência, do amor, da paz, da pureza e da felicidade. Quando esta força predomina, sentimo-nos tranqüilos, relaxados, ativos e pró-ativos, e nossas mentes alcançam estados elevados de consciência.

ALIMENTOS SUTIS ou “SATTVIKA” (em sânscrito):

São aqueles nos quais predominam a força sutil. Esses alimentos são saudáveis para o corpo e para a mente. Somente eles devem ser ingeridos por aqueles que desejam obter estados elevados de consciência. Neste grupo de alimentos incluem-se: frutas, a maioria dos vegetais, feijões e nozes, grãos, leite e seus derivados, e a maioria das ervas e dos condimentos. Esta dieta, comumente chamada de “lacto-vegetariana”, fornece todas as proteínas, os carboidratos, as vitaminas e os minerais de que necessitamos para ter saúde.

  

     FORÇA MUTATÓRIA

A força mutatória é a força da agitação, da atividade ou da mudança. Quando esta força predomina em nossas mentes, tornamo-nos agitados, nervosos, irrequietos e incapazes de relaxar.

            ALIMENTOS MUTATÓRIOS ou “RAJASIKA” (em sânscrito):

Estimulam o corpo e a mente. São produtos compostos por substâncias estimulantes (cafeína e outros), como por exemplo café preto, mate, chocolate, refrigerantes, condimento picante e comida fermentada ou semi-estragada. Esses alimentos devem ser evitados ou ingeridos com moderação, para mantermos nosso equilíbrio mental.

  

     FORÇA ESTÁTICA

A força do embrutecimento, da inércia, da decadência e da morte. A morte ocorre quando as outras duas forcas se desvanecem e a força estática predomina. Esta força nos torna embrutecidos, agressivos, inativos e reativos.

            ALIMENTOS ESTÁTICOS ou “TAMASIKA” (em sânscrito):

Os alimentos e os produtos estáticos estão dominados pela força estática. A maioria não é saudável nem para o corpo nem para a mente, como as carnes, os peixes, os ovos, cogumelos, e especialmente o tabaco e as bebidas alcoólicas. A cebola e o alho podem ser bons para o corpo mas causam grande agitação mental, e por isso, devem ser evitados por aqueles que pretendem controlar seus impulsos e se manter calmos.

__._,_.___

fonte: email recebido de FW, mas o conhecimento provem de muitas outras fontes das quais sou adepta!…

20 de março de 2008 Posted by | AÇÃO DIRETA | , , , , , | 2 Comentários